Como as cores da embalagem conversam com as fragrâncias

Como as cores da embalagem conversam com as fragrâncias

Escute a noticia em nosso áudio player 🎧

 

As fragrâncias são parte fundamental no segmento de cosméticos, e quando falamos nelas, não nos limitamos somente aos perfumes. Em um primeiro momento, surgem em nossas mentes os perfumes, entretanto, ao pararmos para pensar e analisarmos o setor de cosméticos e beleza como um todo, iremos compreender a diversidade de produtos que possuem algum tipo de fragrância. Sejam em cremes sabonetes, géis, óleos essenciais, shampoos, e até mesmo maquiagens.

Quem já passou um batom e não notou um “cheirinho” especial? A fragrância faz parte da experiência sensorial, ativando sentimentos, sensações, emoções, lembranças, entre outras características que os seres humanos possuem e que vão além do consciente.

Estudos afirmam que mais de 54% das pessoas compram produtos pela aparência, o produto em si, complementa o conceito da embalagem. Alguns preferem frascos maiores, outros menores, simétricos, assimétricos, inovadores, minimalistas e por aí vai. As cores contribuem grandemente nesse despertar de emoções e existem inúmeros estudos relacionados a elas. No segmento de perfumes e cosméticos, as cores exercem papel, conforme o grupo olfativo a qual pertencem.

Essa classificação é conhecida no mercado como “roda das fragrâncias”, que vem do inglês “fragrance wheel”. Esse tipo de representação é utilizado para definir o conceito de cores, fragrâncias e contribuir no desenvolvimento de novos produtos, não se limitando ao segmento de perfumes.

A cor azul é tida como cor da amizade. Transmite também frio, confiança, passividade, virtudes intelectuais, tranquilidade, calmaria, solidão, melancolia. A cor verde representa, segundo os pesquisadores, esperança, juventude, natureza, conhecimento, equilíbrio, paciência, refrescância e longevidade. A cor amarela transmite luz, curiosidade, sabedoria, fé, alegria, volatilidade, energia, diversão, jovialidade e amabilidade.

A cor laranja remete ao quente, vibrante, estimulante, ativo, prazeroso, transformador, aconchego e combustão. O vermelho transmite erotismo, paixão, sexualidade, saúde, emergência, fúria, poder, rebeldia, libido, força, ímpeto e domínio. O rosa é associado a delicadeza, doçura, infantilidade, charme e ternura. A cor violeta transmite sentimentos ambivalentes de masculino e feminino, sensualidade, espiritualidade, sobriedade, superstição, mágica, arte, solenidade, extravagância e inquietação.

O preto é associado a elementos duros, ríspidos, trevas, noite, perigo, liberdade, caos, angústia, morte, luto, nada, elegância e seriedade. O branco representa a verdade, a luz, delicadeza, claridade, paz, limpeza, feminilidade, ideal e nobreza. O cinza transmite insegurança, equilíbrio, neutralidade, frio, tristeza, reflexão, inverno e conformismo. A cor marrom é associada à terra, aflição, preguiça, elementos não eróticos, feiura e fora da moda.

Quanto as formas geométricas, as mais retas remetem a paisagem e neutralidade; formas mais sinuosas, a contornos e assimetria se destacam no design de embalagens por se contraporem a monotonia.

Percebam, que com as informações que mencionamos acima, o quanto o planejamento e profundidade na pesquisa e desenvolvimento são essenciais para a elaboração de um novo produto. Muitos dos elementos que destacamos no artigo, são percebidos pelos consumidores de forma inconsciente, e a compra por impulso é o que buscamos, pois, quem analisa demais pode acabar desistindo. Quando gostamos de um produto, por exemplo, sentimos uma euforia, de repente sentimos uma euforia. Se houver motivação nesse primeiro momento, somos instigados em comprar logo de cara.

Em contrapartida a esse contexto, se tivermos tempo para refletir sobre o produto e compará-lo com outros produtos, nosso raciocínio emocional proveniente da amígdala cerebral, que alimenta o sistema límbico, se esvai e dá espaço ao cérebro racional, que fará contas, levantará dúvidas e nos impõe limites. É um princípio semelhante ao sentir raiva, em que não, não pensamos direito, queremos apenas agir e pronto. Todo mundo em algum momento estourou na hora da raiva e se arrependeu depois, ou respirou fundo, saiu de cena, começou a andar ou a escrever, e em alguns minutos a raiva se esvaiu.

Isso ocorre, pois, o cérebro emocional recebe primeiro a mensagem do que o racional. E não é à toa, essa configuração do nosso cérebro foi projetada dessa maneira, devido ao instinto de sobrevivência, sentimos primeiro antes de racionalizar, compreender, é uma resposta automática do nosso organismo.

Se bem explorada, essa resposta é de grande utilidade para estratégias de vendas. Não que o produto deva ser ruim e a aparência ser protagonista, a mensagem que queremos passar é, estude seu consumidor, suas motivações e com certeza, terá um produto campeão de vendas!

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart

Nenhum produto no carrinho.